Emigrante

18 thoughts on “Emigrante”

  1. Flávia concordo tanto com tudo o que escreveste!
    Só quem é emigrante sabe, só quem é emigrante sente!
    E acho que mais não vale a pena dizer, porque quem não o é, não irá entender!
    Beijinhos

    Liked by 1 person

    1. Olá Soraia. Realmente é difícil explicar este tipo de coisas a quem nunca passou por elas mas acho que devemos tentar (ou ir tentando). Tal como escrevi no comentário em resposta à Joana, a partilha de realidades diferentes pode ser bastante positiva para ambos os lados, desde que haja uma mente aberta (e isto é que é importante), saímos todos a ganhar. Beijinhos

      Like

  2. Realmente, será que há mais pessoas como a Raquel que acham “até esses vão regressar ao conforto de ter a família por perto como rede de suporte para ajudar a criar os mais novos, para, de alguma forma, incutir nos mais novos a relação familiar que eles próprios decidiram quebrar um dia”?? Afinal quem se acha a Raquel para dizer que quebramos a relação familiar? Que ridícula!! E sim, poderemos voltar. Eu quero voltar!! Por muitas razões que a Raquel deve desconhecer! Parabéns Flávia! Gostei muito do teu texto!

    Liked by 1 person

    1. Olá Joana. Acredito que haja muito mais como a Raquel, aliás, basta ver algumas das respostas ao artigo no Facebook ou no site. A ignorância em relação à nossa realidade é evidente, cabe-nos a nós partilhar estas experiências que fogem à regra (que na verdade não fogem porque emigração sempre existiu mas pronto), talvez no futuro sejamos um povo menos hipercrítico e mais compreensivo. Obrigada pelo feedback!

      Like

  3. Gosto tanto! So ha uma coisa que ninguem fala…. das lagrimas em silencio limpas antes de uma chamada skype para desviar a tristeza da saudade…. os suspiros na hora de ir para o aeroporto. Emigrante para tantos significa a ganancia de querer mais dinheiro… (es emigrante, es rico)…. ai se soubessem! Mas nao sabem, e quem nao vive pensa que sabe mas nao faz a menor ideia.

    Liked by 1 person

    1. Olá Anaisa. Ui, quantas e quantas lágrimas.. Mas o que não nos mata faz-nos mais fortes, não é? Quando chega a hora de ir, pensa na volta. Não há nada como aterrar em Portugal, sair pelas portas do aeroporto e sentir que chegámos a casa. Mesmo que tenhamos mais casas espalhadas pelo Mundo, a Portuguesa há-de ser sempre a primeira 🙂
      Beijinhos

      Liked by 1 person

  4. Estou a bater palmas à tua resposta, e assino por baixo!
    Quem fala sem saber o que é na realidade ser emigrante devia pensar antes de abrir a boca.
    Sai de Portugal em 2013, mantenho os mesmos amigos e a minha família está sempre presente, como se estivesse em Portugal! Fiz parte de bons momentos, fiz parte também dos muitos maus momentos que aconteceram, e acho que de certa forma ainda se sofre mais por não estarmos tão perto.
    Não tenho mar, posso não ter tanto sol ou calor, a cerveja não tem gás e as sardinhas e as castanhas nem existem, mas ganhei outras experiências, cresci, abri as minhas portas e a minha mente, vou conhecendo o mundo (a fazer alguma ginástica, atenção!! Ser emigrante não é sinonimo de ser rico, como muito boa gente pensa), e se um dia voltar ao meu cantinho em Portugal vou ver o mundo e o meu país com outros olhos!

    Liked by 1 person

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s